Dá para ser muito feliz consumindo menos

104. Verão na horta, chuchu na panela

Nessa época do ano, a umidade e o calor em excesso estressam as plantas e quem cuida delas. Mas, enquanto as espécies estrangeiras sofrem, as nativas crescem bem e frutificam.

Quando está calor demais, se bobear a terra encharca, as folhas murcham e as mudas novinhas morrem queimadas. Sem falar que os pulgões & cia aparecem com mais freqüência. Nos anos anteriores, eu molhava demais, inclusive perto do meio-dia, preocupadíssima em evitar a desidratação. Vendo as coitadinhas retorcidas, corria com o regador para dar um alívio. Aprendi que esse é um erro comum. Quando fiquei prática do manejo do “dedômetro” (enfiar o dedo na terra para testar a consistência e umidade) notei que nem sempre elas murcham por falta d’água. Muitas vezes os vegetais estão apenas se protegendo do excesso de raios solares e da temperatura alta demais. E jogar água nas plantas sob o sol forte só piora o problema, pois isso pode literalmente cozinhar as plantas. Hoje prefiro nem aparecer na horta no meio do dia quando a temperatura está acima dos 30ºC, assim não fico nervosa.

Para evitar o superaquecimento, só cobrindo a terra com uma camada de 5 a 10 cm de palha seca e providenciando sombra parcial. Pode ser com toldo, sombrite (tela que existe para isso mesmo e é vendida em casas agrícolas) ou, melhor ainda, com a própria vegetação. Atualmente, crescem em volta dos meus canteiros suspensos trepadeiras que fizeram uma cortina verde e ainda oferecem frutos. Chuchu e maracujá são ótimos para isso e estamos em plena safra! O povo tem razão quando diz que chuchu “dá” demais. Cheguei a colher mais de 10kg num único dia. E saio por aí distribuindo para os vizinhos, pessoas que vêm prestar algum serviço, colegas em reuniões e até no treino de basquete levei para abastecer a despensa das companheiras de time. Eu e a Rose, que trabalha aqui em casa, ficamos craques em receitas com chuchu e coloquei aí embaixo as que fazem mais sucesso. Numa dessas entregas, a Olinda, que mora em frente, recomendou colher os chuchus enquanto estiverem pequenos para ficarem mais tenros e saborosos.

Antes de reclamar do clima, cabe uma reflexão sobre nossas escolhas e histórico alimentar. Grande parte das espécies que cultivo é estrangeira, proveniente de locais em geral mais secos e frios do que São Paulo. Alecrim, tomilho, sálvia, orégano e rúcula, por exemplo, vieram das bordas do mediterrâneo. Alface, da Ásia ocidental. Tomate, do Peru, e manjericão, da Índia. Cebolinha é européia, não sei de que região. Está explicado por que se dão muito melhor no inverno daqui!

Mas basta olhar o pé de taioba, o chuchuzeiro e o maracujazeiro para perceber que, como a maioria dos brasileiros, preferem os dias de verão. Fui pesquisar as origens e — voilá! – são todos tropicalíssimos. A taioba, ignorada por décadas e entrando na moda, é aqui do Brasil (substitui espinafre em qualquer receita). O chuchu, nativo da América Central, vem sendo apreciado desde o tempo dos astecas. E o maracujá também surgiu nas regiões quentes do nosso continente.

Pensando numa agricultura mais sustentável para o futuro, com certeza teremos que recorrer às espécies nativas, totalmente adaptadas ao clima local e, por isso, mais fáceis de cultivar e menos suscetíveis a doenças.

Hora de ir para a cozinha!

TORTILHA DE CHUCHU DA CLAUDIA (fácil e rápida)
Ingredientes
-
 1 ovo (orgânico de preferência)
- ½ chuchu pequeno ou médio sem casca, ralado grosso
- 1 colher de sopa de cebola crua picada
- gersal (ou sal comum) a gosto
- um pouco de erva fresca picada (salsinha, cebolinha, nirá ou tomilho são as melhores)

Como fazer
Bata o ovo com o garfo. Junte os demais ingredientes e coloque numa frigideira bem pequena para ficar alto como uma tortilha. Quando perceber que o lado de baixo está sequinho e dourado, vire com cuidado. Eu uso o chuchu cru, mas se preferir pode ferver com um mínino de água por 1 minuto e escorrer bem antes de incorporar à mistura.

 

SUFLÊ DE CHUCHU DA ROSE (delicioso e chic)
Ingredientes
- 5 chuchus pequenos ou médios
- 1/2 cebola picada
- 2 gemas
- 2 claras em neve
- 1 colher de manteiga
- 1 colher de sopa de maisena
- 1 colher de café de raspas de limão
- 1 colher de sopa de parmesão
- folhas de manjericão fresco picadas
- sal a gosto

Como fazer
Descasque e corte os chuchus na metade. Cozinhe no vapor até ficar macio. Amasse com um garfo. Em separado, refogue a cebola na manteiga. Depois que o chuchu e a cebola esfriarem, misture todos os ingredientes menos as claras em neve, que devem ser levemente incorporadas no final. Unte uma forma refratária (de preferência redonda) com manteiga e polvilhe com farinha de trigo. Coloque no forno a 180ºC e em cerca de 40 minutos está pronto.

Você também poderá gostar de:

4 Comments to 104. Verão na horta, chuchu na panela

  1. Regina Thompson's Gravatar Regina Thompson
    1 de março de 2012 at 19:55 | Permalink

    Cadê o meu chuchu? Quero experimentar o chuchu da Claudia ;-)

  2. Vera Marques Pires's Gravatar Vera Marques Pires
    10 de novembro de 2012 at 22:27 | Permalink

    Ouvi sua entrevista e corri p conhecer o seu blog. SENSASIONAL Tenho uma mini horta, passei a comer as ervinhas, descarto sacolas plásticas, cato pets na rua ( é assustadora a quantidade q entrego no ferro velho). Me chamam de maluca. Nem ligo. Mas faço mto pco ainda . Estarei spre passando p ver suas novidades. bjo Vera

Deixe um comentário

You can use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Simplesmente

Dá para ser muito feliz consumindo menos.

Visitantes no blog

  • 432678Visitas:

RSS

Assine este feed

Posts por categoria