Dá para ser muito feliz consumindo menos

115. Limpeza Geral

Sempre me incomodou aquele cheirinho da faxina com produtos industrializados. Pesquisando o assunto, descobri que essas fórmulas estão cheias de ingredientes que causam alergia e outros problemas de saúde mais graves, além de poluir a água. Por isso, resolvi partir para soluções mais naturais.

No capítulo roupas, depois de abandonar o amaciante e os branqueadores, troquei o sabão em pó comum por sabão de coco em pó + sabão de coco em barra (é mais caro, mas aprendi várias técnicas para economizar na quantidade). Aliás, me tornei expert na arte de lavar roupas à mão com pouca água e pouco sabão, clareando no sol. O segredo é aquecer a água, sobretudo no caso das roupas claras, lençóis e toalhas (essa aprendi com minha mãe). Fervo algumas panelas e jogo na bacia de alumínio junto com 2 colheres de sopa de sabão em pó e mais água na temperatura ambiente. Deixo de molho 1 ou 2 horas e aí esfrego a sujeira aparente com sabão de coco em barra. Acho a atividade relaxante e as peças estão ficando incrivelmente melhor cuidadas e mais duráveis com esse tratamento natureba-vip. E a água suja vai para a rega do jardim sem problemas (só não uso na horta).

Roupas brancas são mais complicadas e fico pensando que melhor seria aderir à cor natural do algodão (cru). Com isso, a indústria deixaria de despejar no mundo toneladas de compostos tóxicos para deixar o tecido alvíssimo e, em casa, nós pararíamos com essa neura da manutenção da brancura. Uma mancha aqui outra ali às vezes é impossível tirar. Aprendi a conviver com panos de prato que apresentam algumas marcas do tempo mesmo quando limpos. A atitude faz parte do processo de trocar o perfeccionismo estético que prejudica a saúde pela realidade das coisas naturais.

Desacostumei tanto da química heavy metal que hoje fico com dor de cabeça quando entro num ambiente recém-faxinado de maneira convencional. E meus inimigos têm nome: Compostos Orgânicos Voláteis. E apelido: COVs. São ingredientes sintéticos comumente encontrados em limpadores industrializados, sem aviso no rótulo. Alguns deles têm alta toxidade e quase ninguém sabe. No post “Tempestade química em copo d’água” (http://conectarcomunicacao.com.br/blog/111-tempestade-qumica-em-copo-dgua/) mencionei alguns dados alarmantes que vale a pena repetir: “30.000 diferentes compostos químicos são colocados em todo tipo de produto. Desses, apenas 4% são analisados rotineiramente e cerca de 400 são persistentes (não se desintegram no meio ambiente). 75% nunca tiveram seus efeitos colaterais estudados. Em contato umas com as outras, essas substâncias podem potencializar mutuamente seus efeitos ou formar outras descontroladamente”.

Para fugir dos COVs e outros venenos, passei a fazer em casa meu próprio desinfetante/limpa tudo, que é ótimo para passar no chão com pano úmido, usar no vaso sanitário e limpar vidros. Aí vai a receita:

  • Pique uma boa quantidade de algum tipo de erva (pode ser citronela, capim santo, alecrim, hortelã ou o matinho da sua preferência) e coloque dentro do álcool. Depois de alguns dias o álcool fica bem verde e pega o cheiro da planta.
  • Esprema 1 ou 2 limões (dependendo do tamanho), misture com 2 copos de água, coe e coloque dentro de uma garrafa PET de2 litros.
  • Adicione 1 copo de vinagre e 1 colher de sopa bem cheia de bicarbonato de sódio.
  • Junte um copo do álcool de ervas.
  • Acrescente mais água até encher a garrafa.
  • Depois de pronto, é só guardar o limpador na sombra e diluir em água quando for usar.

Estou colecionando outras fórmulas e dicas, sempre à base do sexteto-maravilha da limpeza sem química: limão/álcool/vinagre/bicarbonato/óleo/sabão de coco. Aqui vão alguns bons links:

Dá mais trabalho limpar a casa assim? Claro que dá, sobretudo porque empregados domésticos costumam ser resistentes a alternativas mais suaves de limpadores. Com isso, tenho me envolvido pessoalmente na faxina cada vez mais, o que me faz muito bem em vários sentidos. Estou convencida de que não existe nada mais natural e eticamente correto do que limpar a própria sujeira.

Você também poderá gostar de:

8 Comments to 115. Limpeza Geral

  1. Ida's Gravatar Ida
    5 de outubro de 2012 at 13:14 | Permalink

    Olá Claudia,
    Parabéns pela iniciativa e obrigada pelas dicas, sempre tem gente que não as conhece e essa divulgação é da maior importância. Enviei para todos os amigos. Aqui também somos preocupados com a melhoria no estilo e qualidade de vida, apesar da falta de recursos da maioria.
    Abraços,
    Ida.

  2. 12 de novembro de 2012 at 23:47 | Permalink

    Olá Cláudia,

    E este balde de alumínio retrô-vintage?
    Tento ao máximo suprimir o plástico, quando é possível substituí-lo por materiais mais duráveis e atóxicos. O balde cai como uma luva . Onde posso encontrar esta verdadeira relíquia, que remete diretamente à minha infância?

    Abraço!

    Marcos Pereira

    PS. Moro no Bixiga.
    Sempre que passo na pracinha da rua Avanhandava, delimitada pela escadaria do cruzamento da Frei Caneca x Caio Prado com os fundos do novo hotel Cadoro (em construção) , imagino um canteiro com ervas aromáticas, perfumando e embelezando o espaço. Quando ouvi o quadro ‘Blogueiros’ na CBN, este pensamento começou a tomar contornos reais. Obrigado!

  3. Cintia's Gravatar Cintia
    16 de março de 2013 at 21:23 | Permalink

    Olá Claudia! Parabéns pelo blog, me sinto contagiada com as dicas, comentários e reflexões postadas por você. Só gostaria de fazer um comentário sobre este post. Acho super positivo e importante buscar alternativas naturais para substituir produtos industrializados de limpeza, mas não podemos dizer que com isso estamos eliminando a química, ja que toda a matéria é formada por substâncias químicas. O vinagre por exemplo na quimica é o ácido acético, um produto quimico tanto quanto os COVs, que é um problema ainda mais sério quando o assunto é tintas. Apesar da Química ser considerada a grande vilã nas questões ambientais, não podemos generalizar, pois ela é muito mais ampla e pode inclusi e ser uma aliada. Um grande abraço.

  4. 2 de abril de 2013 at 12:12 | Permalink

    Claudia, um item que me auxilia muito nas limpezas do dia a dia é o pano de microfibra porque em muitas limpezas só uso o pano seco e em outras o pano de microfibra e água morna, mais nada e já é suficiente.

  5. Lua's Gravatar Lua
    25 de maio de 2013 at 16:39 | Permalink

    Oi, se voce quiser alvejar a roupa sem usar a candida compra agua oxigenada 40 volumes ou um produto con oxigenio. A agua oxigenada alveja mas sem poluir o ambiente

  6. 14 de agosto de 2013 at 12:38 | Permalink

    olá me chamo Wellington
    Hoje trabalho com a ekobrazil inteligência ecológica
    Produtos biodegradáveis e ecológicos de higienização atendemos a linha domestica, automotiva e industrial. Não agredir o homem e o meio ambiente é o nosso compromisso.
    Você precisa conhecer! fale comigo ekobrazilrj@gmail.com ou 22-30531253

Deixe um comentário

You can use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Simplesmente

Dá para ser muito feliz consumindo menos.

Visitantes no blog

  • 336792Visitas:

RSS

Assine este feed

Posts por categoria