Dá para ser muito feliz consumindo menos

39. Plantar. Cozinhar. Lavar. Costurar.

Homens, mulheres, adolescentes e crianças ganham muito quando colocam a mão na massa e encaram as tarefas domésticas.

A propaganda tenta nos convencer a comprar produtos práticos. Em marquetês, praticidade significa adquirir algo industrializado e pré-pronto em vez de colocar a mão na massa. A vantagem embutida nesse tipo de oferta é ganhar tempo. Mas ganhar tempo para quê? Para assistir mais anúncios na televisão? Para adicionar mais amigos virtuais ao Facebook? Para ir ao shopping fazer compras?

É uma pena que o feminismo tenha deixado como efeito colateral a aversão ao mundo doméstico. Obviamente, o fim (ou melhor, o abrandamento) do patriarcado melhorou o ocidente. As notícias que chegam dos países árabes, da África e da China, imensos territórios onde as mulheres ainda passam por suplícios, não deixam sombra de dúvida. Nas últimas décadas, porém, passaram a ser malvistas tarefas como preparar uma refeição, arrumar os armários, pregar botões e lavar a louça.

Na minha opinião, homens, mulheres, adolescentes e crianças saem perdendo quando evitam os trabalhinhos humildes. São coisas deliciosas de fazer e que têm efeitos terapêuticos poderosos. Quando limpo (sem produtos tóxicos) e organizo a casa, faço faxina nos pensamentos e sentimentos. O almoço que preparo no fim de semana com os vegetais fresquinhos e orgânicos aqui do quintal é mil vezes melhor do que as gororobas congeladas servidas pela indústria alimentícia. Melhor até do que a comida delivery da lanchonete bacaninha. Melhor até do que enfrentar um restaurante lotado. Todo o processo de cozinhar e colocar a mesa em família nutre a alma e tempera os vínculos entre nós. Quando temos convidados, a alegria fica maior ainda.  

Passo longas horas diárias pesquisando e escrevendo diante da tela do computador. Para recarregar as baterias, preciso cuidar da horta e passear com o Nino (meu cão), entre outros serviços braçais. Ontem mesmo, acompanhei minha filha Julieta numa atividade. Como sempre, levei um livro. No caso, uma obra-cabeça. Felizmente, tinha comigo agulha e linha e pude consertar a mochila, que estava arrebentando. Li um capítulo e depois fiquei meditando sobre ele enquanto costurava. O tempo voou e saí de lá muito mais disposta do que quando apenas leio.

As crianças de hoje já nasceram numa sociedade acelerada, hiperconectada e viciada em altas doses de diversão. Canais infantis transmitem 24 horas. Filmes 3D são lançados toda semana, assim como novas versões de games e gadgets. Meus filhos gostariam de preencher todos os minutos do dia e da noite com distrações eletrônicas, mas a gente coloca limites. Para eles, o vácuo de atividades, popular tédio, é difícil de encarar. E contribuições mínimas com as tarefas domésticas demandam grande esforço.

Aos poucos, eu gostaria de ensinar ao Alex e à Julieta como é bom plantar, cozinhar, lavar e costurar. Quero que eles saibam que nada cai do céu, como acontece no Playstation. Por enquanto, já está valendo a pena insistir em colocá-los em contato com a realidade mais simples e básica da vida. Lavar o carro, por exemplo, se tornou uma das brincadeiras preferidas do meu filho. Como o calor voltou, vamos fazer isso no próximo sábado (utilizando a menor quantidade possível de água).

OBS 1 - O livro que cito no quarto parágrafo é Small is Beautiful – Economics as If People Mattered, de Ernst Schumacher, economista alemão que viveu na Inglaterra. Trata-se de uma das principais obras do movimento ambientalista e estou adorando. O título já diz muito…

Você também poderá gostar de:

5 Comments to 39. Plantar. Cozinhar. Lavar. Costurar.

  1. Luciana's Gravatar Luciana
    25 de agosto de 2010 at 13:47 | Permalink

    Oi Claudia, que texto bacana!
    Tb estou descobrindo o prazer do trabalho manual. É todo um universo novo que se descortina ante meus olhos atônitos! :-) Para mim, esse processo começou com o advento do crudivorismo, que eliminou da minha existência todo um segmento do mundo industrializado. É uma delícia espremer o seu leite de amêndoas no filtro de voal feito pelas suas próprias mãozinhas.
    Concordo com vc que tempo não é questão principal — tempo é uma questão de prioridades, em um certo nível. Mas, em outro, pode ser sim uma limitante: ganhei dos meus irmãos uma máquina de costura no meu aniversário do ano passado. Já fiz aniversário de novo e ainda não consegui aprender como ela funciona (sou totalmente analfabeta de linhas e agulhas). Mas a perseverança há de vencer! E já intimei a minha mãe a me ensinar um pouco das várias artes manuais que ela domina, começando pelo tricô.
    bj gde, e obrigada pelo blog.

  2. Teca's Gravatar Teca
    4 de setembro de 2010 at 12:28 | Permalink

    Claudia:
    Nossas reflexões andam no mesmo caminho…
    Fazer coisas com as próprias mãos para nosso consumo pessoal e fazer as coisas por intero, participando dos processos domésticos que viviam as avós.
    Nas última duas semanas fiz pão em casa. É mágico ver a massa que amassei assada e que enquanto amassava sentia que driblava essa ansiedade louca que temos em relação ao tempo e a perda dele. Mesmo consciente de que devemos priorizar nossas escolhas, o reloginho contemporâneo do consumo em todas as dimensões fica batendo na cabeça: os livros que ainda não li, os filmes, as viagens, as coisas para a casa, as exposições, enfim, aquele sintoma da atualidade de que estamos sempre atrasados…
    Além do pão desengavetei meu crochê. Embora fazendo menos do que gostaria, o efeito é o mesmo, driblar a ansiedade do tempo. E assim busco fazer coisas que estão por aqui, como o composto orgânico que finalmente desenterrei, penerei e usei, foi o maior prazer!!!
    Teca

  3. 23 de julho de 2011 at 19:53 | Permalink

    Boa Noite:), o meu nome é Joana estudo Engenharia Mecânica e gostei imenso do teu blogue! Muito linda sim senhora!
    Adequa-se muito bem com tudo aquilo que aqui li.Existe sempre há imenso que regidir nos blogues!Nada nada mais satisfatório do que deixar a nossa marca espalhada pelo mundo!
    Beijinhos :)

Deixe um comentário

You can use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Simplesmente

Dá para ser muito feliz consumindo menos.

Visitantes no blog

  • 336690Visitas:

RSS

Assine este feed

Posts por categoria