Dá para ser muito feliz consumindo menos

63. Vivendo em São Paulo, destruindo a Amazônia

Basta ir ao supermercado para encontrar produtos de marcas famosas que utilizam matéria-prima obtida de forma ilegal na Floresta Amazônica.

Quem se beneficia com a destruição da Amazônia? Essa foi a pergunta lançada pelo projeto Conexões Sustentáveis e que resultou num extenso rastreamento das cadeias produtivas da pecuária, da soja e da extração de madeira. Uma iniciativa da Rede Nossa São Paulo e do Fórum Amazônia Sustentável, com o objetivo de demonstrar por A + B que a economia legalizada da maior cidade do país se aproveita de crimes sociais e ambientais cometidos na Região Norte. Todas as informações coletadas estão na internet: http://reporterbrasil.org.br/conexoes/ .

No dia 23 de fevereiro fui assistir à apresentação do estudo. Fiquei boquiaberta com o relato e a coragem dos jornalistas Leonardo Sakamoto e Marques Casara, que lideraram a equipe no trabalho de campo. Ou seja, essa galera saiu do ar condicionado da redação e foi fazer reportagem em zonas de bang-bang com o objetivo de tornar transparente o que as empresas, o governo e os consumidores fingem não existir. Do lado de lá, matérias primas extraídas por empresas poderosas, mas que os urbanóides desconhecem, como Sulmap, Berneck e Santos Andirá. Transformadas, essas commodities viram produtos de marcas famosas, com os quais todos estamos familiarizados.

No dia seguinte, acordei ansiosa para conferir nos jornais as manchetes relacionadas às descobertas de Sakamoto, Casara & cia. Como não encontrei nenhuma, resolvi produzi-las por conta própria. São 100% verdadeiras, como você pode conferir nos links indicados:

Soja destinada a virar óleo de cozinha das marcas Soya, Cyclus, Delícia e Andorinha e Salada é produzida em regiões de desmatamento http://reporterbrasil.org.br/conexoes/?p=127

Grupo JBS Friboi — fornecedor do Pão de Açúcar, Carrefour, Walmart e Sonda — adquire gado de áreas embargadas pelo IBAMA http://reporterbrasil.org.br/conexoes/?p=141

Madeira de desmatamento na Amazônia vai parar em prédios de luxo paulistanos http://reporterbrasil.org.br/conexoes/?p=231

Fabricante dos óleos Liza, Maria, Mazola e maionese Gourmet compra soja de produtor acusado de escravizar trabalhadores http://reporterbrasil.org.br/conexoes/?p=133

Móveis produzidos com madeira ilegal são vendidos nas Casas Bahia, Lojas Cem, Marabraz, Ponto Frio e Magazine Luiza. http://reporterbrasil.org.br/conexoes/?p=182

Tramontina compra madeira de fornecedor acusado de crimes ambientais http://reporterbrasil.org.br/conexoes/?p=292

Metade das fazendas brasileiras que utilizam mão de obra escravizada produz carne bovina e se concentra em áreas de desmatamento http://reporterbrasil.org.br/conexoes/?p=80

Você também poderá gostar de:

1 Comment to 63. Vivendo em São Paulo, destruindo a Amazônia

  1. Fabio's Gravatar Fabio
    5 de março de 2011 at 15:14 | Permalink

    teste

Deixe um comentário

You can use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Simplesmente

Dá para ser muito feliz consumindo menos.

Visitantes no blog

  • 435454Visitas:

RSS

Assine este feed

Posts por categoria