Dá para ser muito feliz consumindo menos

84. O veneno está na mesa. Socorro!

Um documentário, divulgado livremente pela internet, mostra os terríveis problemas de saúde pública provocados pela agricultura baseada em agrotóxicos.

O cineasta Silvio Tendler ficou conhecido pelas biografias históricas de JK, Jango e Carlos Marighella, entre outros documentários de cunho social. Sua decisão de enfocar o que está acontecendo no mundo rural brasileiro deu em “O veneno está na mesa”, um filme realizado com o objetivo de levantar essa discussão e, por isso, liberado para assistir na íntegra pela internet http://www.youtube.com/watch?v=8RVAgD44AGg

São 50 minutos de relatos sobre a tragédia que é o uso de agrotóxicos na lavoura, com muitas situações absurdas que a maioria das pessoas ainda desconhece. Veja algumas delas…

O Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos e permite o uso de mais de 400 tipos desses venenos. No filme, fala-se em5,2 litrosanuais por pessoa, mas é possível que o dado já esteja defasado. Em julho de 2011, assisti uma apresentação na BioFairem que Rogério Dias(Coordenador de Agroecologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) mencionou que já chegamos a5,7 litros.  

Aquilo que as indústrias do setor chamam eufemisticamente de “defensivos agrícolas” são nada menos do que armas químicas. Entre os mais antigos estão o Zykon, usado nos campos de concentração nazistas, e o Agente Laranja, na Guerra do Vietnã.

A legislação brasileira é uma das mais complacentes em relação aos agrotóxicos. Produtos banidos até na China são usados livremente por aqui. Para complicar, falta fiscalização, como atestou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária em relatório divulgado em 2009. Na ocasião, das 3130 amostras coletadas em 26 estados, 29% estavam contaminadas (com mais agrotóxicos do que os níveis já altíssimos permitidos por lei ou com substâncias proibidas). Os alimentos campeões em veneno: pimentão (80%), uva (56%), morango (55%), abacaxi (44%), mamão (39%), alface (38%).  

O crédito governamental para financiamento agrícola está vinculado à aquisição de sementes transgênicas e agrotóxicos. O agricultor precisa mostrar no banco as notas fiscais de compra.

Em março de 2011, Danielly Cristina de Andrade Palma, defendeu tese de mestradoem Saúde Coletivada Universidade Federal do Mato Grosso. Em sua pesquisa, ela analisou o leite materno de 62 mulheres de Lucas do Rio Verde, norte do Estado. 100% das amostras estavam contaminadas com agrotóxicos. Outros estudos demonstram que a contaminação inicia no útero e a exposição aos agrotóxicos na gravidez, sobretudo pelas trabalhadoras rurais, está relacionada à má formação fetal e câncer na infância.

Diversos agricultores contam suas experiências de intoxicação por agrotóxicos. O depoiment que mais choca é o da viúva de Vanderlei Matos da Silva, que era perfeitamente saudável quando foi contratado para misturar as substâncias que seriam aplicadas na lavoura de abacaxi no Ceará e morreu de intoxicação hepática aos 29 anos.

Pesquisadores da ANVISA e da Fundação Oswaldo Cruz, ambos órgãos governamentais, relatam pressão política para não alertar a população sobre esse problema.

Desde que a agricultura foi criada, há cerca de 10 mil anos, os agricultores sempre guardaram parte da colheita para servir de semente na safra seguinte. Mas agora as sementes transgênicas são parte do pacote fechado da agricultura baseada em produtos químicos. Assim, as sementes naturais, chamadas crioulas, estão desaparecendo. Na minha opinião, esse é o maior risco que o atual sistema representa para o futuro da humanidade, pois a perda da biodiversidade é irreparável.

Felizmente, embora ainda pareça longe o dia em que esses venenos serão banidos do país e do mundo, a cada dia aumenta a preocupação geral com o uso de agrotóxicos na lavoura. Silvio Tendler pretende fazer outros documentários sobre o assunto (saiba mais em http://www.brasildefato.com.br/node/6965). Espero que ele resolva enfocar as soluções que já existem. As mais bacanas, na minha opinião, são:

  • Comprar de distribuidores de alimentos agroecológicos (100% orgânicos e ainda melhores, pois dão uma força para a agricultura familiar e o comércio justo):

www.aboaterra.com.br;
www.alimentosustentavel.com.br;
www.sabornatural.com.br;
www.sementesdepaz.com.br;
www.caminhosdaroca.com.br;
www.familiaorganica.com.br

DÊ SUA ADESÃO À CAMPANHA PERMANENTE CONTRA OS AGROTÓXICOS E PELA VIDA   contraosagrotoxicos@gmail.com                (11) 3392 2660

Você também poderá gostar de:

7 Comments to 84. O veneno está na mesa. Socorro!

  1. su's Gravatar su
    11 de agosto de 2011 at 1:13 | Permalink

    Vamos desenvenenar nosso mundo! Não dá mais para ir tomando doses cavalares de agrotóxicos direta e indiretamente. O filme deveria ser essencial nos currículos de escolas e faculdades. Valeu Clau e Viva a agroecologia!

  2. 11 de agosto de 2011 at 19:13 | Permalink

    Cláudia, que surpresa encontrar esse blog justamente nessa semana! Sou educadora corporativa na minha empresa de um curso sobre Ecoeficiência e seu blog com certeza me auxiliará muito nas discussões que fazemos em sala de aula. Muito obrigada por compartilhar essas informações conosco!

  3. claudia's Gravatar claudia
    12 de agosto de 2011 at 11:50 | Permalink

    Oi Luciana, fico feliz em disseminar essas informações, que precisam chegar ao maior número possível de pessoas. Um grande abraço! Claudia

  4. 12 de agosto de 2011 at 18:32 | Permalink

    Oi Cláudia, a Regina Thompson me passou o seu blog. Socorro mesmo com todo esse veneno à mesa e dentro de tanta gente desde sempre (não me excluo)! Estou esperando vc anunciar a nova rodada do curso sobre hortas urbanas, ouvi coisas muito legais sobre ele!
    Sobre o sabão, tenho usado esse tipo de sabão já há 1 ano, feito pela minha empregada; contribuo indiretamente com outras coisas porque em casa não fritamos nada. Abçs e parabéns pelo blog. Vera

  5. claudia's Gravatar claudia
    12 de agosto de 2011 at 18:50 | Permalink

    Oi Vera, seja sempre bem-vinda ao blog. Acho que outro curso deve rolar no verão. Estou com uma lista de interessados e vou adicionar seu nome. Talvez antes, vamos vendo… Entre no grupo Hortelões Urbanos, do Facebook. Tem muita troca de informação. Bjo!

  6. VAINI MADALENA MARTINS's Gravatar VAINI MADALENA MARTINS
    31 de março de 2016 at 15:27 | Permalink

    Sou graduanda em Geografia, e estamos trabalhando com a Geografia Agrária. Precisamos repensar a produção alimentar no nosso país.
    Att. Vaini.

  7. VAINI MADALENA MARTINS's Gravatar VAINI MADALENA MARTINS
    31 de março de 2016 at 15:27 | Permalink

    Sou graduanda em Geografia, e estamos trabalhando com a Geografia Agrária. Precisamos repensar a produção alimentar no nosso país.
    Att.
    Vaini.

Deixe um comentário

You can use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Simplesmente

Dá para ser muito feliz consumindo menos.

Visitantes no blog

  • 429684Visitas:

RSS

Assine este feed

Posts por categoria